7ª Temporada,  Brianna Randall Fraser,  Caitriona Balfe,  Claire Fraser,  Diana Gabaldon,  Escócia,  Ian Murray,  Jamie Fraser,  Jemmy,  John Bell,  Mandy,  Outlander,  Resenha,  Richard Rankin,  Roger Wakefield,  Sam Heughan,  Série,  Sophie Skelton,  William Ransom

[Resenha] Outlander 7×08 – “Turning Points”

No sétimo episódio, Claire já havia dito que se Jamie não voltasse para ela, então ela iria atrás dele. E foi exatamente isso que Claire fez. Ela procurou pelo amor da sua vida em meio ao campo de batalha até que finalmente o encontrou. Jamie estava inconsciente, vulnerável e prestes a ser morto. Claire não é uma mulher violenta. Quer dizer não até ter que proteger a quem ela ama e se Jamie estiver em perigo, ela não hesitará em matar, se assim for necessário.  Felizmente isso não aconteceu, mas ela lutou para tê-lo de volta e em segurança em seus braços.

E Claire está brava com Jamie. Ela sabe que as circunstâncias o impelem a lutar e simplesmente pedir para que ele não lute parece ser impossível. E seria como pedir a Jamie para que não seja ele. Na verdade, Claire está com raiva do mundo que continuamente os separa e os coloca em perigo. Claire percebeu que esteve bem perto de perder Jamie e isso a fez perceber de que mesmo sabendo qual será o resultado da guerra, isso não garante de que toda a sua família sobreviverá a ela. E ela odeia essa sensação de impotência e de não poder fazer nada a respeito. E Jamie ao ver Claire assim, gritando com ele e tão cheia de vida, tão, tão… Claire de ser, é o encorajamento que ele precisava. 

Ele ama Claire mais do que tudo e está lutando para manter sua família unida. E ele está feliz por estar de volta com ela, sabendo que ela lutou e o trouxe de volta para sua casa, porque ela é a casa dele, assim como ele é a dela. Só que em Outlander nada é tão fácil ou simples para sempre. Uma nova batalha acontece e mesmo que Jamie não esteja em perigo mortal, ele sente como se estivesse a ponto de morrer, quando quase mata o seu filho. William também estava do lado oposto daquela batalha e apenas o destino, ou a sorte, impediram que Jamie atirasse em sua cabeça.  Jamie percebe de repente que esta é a segunda vez que ele quebrou o seu juramento e ele teme que haja uma terceira vez. Jamie detesta não poder fazer nada a respeito. E ele encontra em Claire o conforto e a compreensão.

Às vezes a vida tem maneiras estranhas de surpreender e unir as pessoas. Simon Fraser ferido em batalha está prestes a morrer e, como Jamie é o seu único parente vivo, ele pede para ver Jamie.   Ele reencontra William no acampamento britânico e é a primeira vez que o pai vê e fala com o filho desde que ele era só um garotinho. Jamie pensou que ver William e Brianna de longe, fosse um sonho realizado, mas tê-lo ali mesmo que por poucos instantes ao lado dele foi algo indescritível. E ele pode dar algo dele ao filho, pode fazer com que William use algo dele, o seu chapéu. Dar o seu chapéu depois de tirá-lo com um tiro, seria como um sinal do amor que ele não teve ou tem o direito de exprimir.

Que Simon Fraser tenha o seu descanso eterno, mas ele deu a Jamie e Claire uma nova chance. Um dos últimos pedidos em seu leito de morte é de o seu primo Jamie leve o seu corpo de volta à Escócia. Jamie e Claire podem voltar a sonhar com as urzes, montanhas e toda beleza da Escócia e, com a certeza de que William ficará afastado das batalhas por um tempo. Um alívio para Jamie que pode voltar para a sua terra. Naquelas terras onde ele nasceu, cresceu, sofreu e conheceu Claire. O amor de sua vida e com quem planejou uma vida juntos.

Ian também vai voltar à Escócia, só que menos animado que seus tios e não apenas porque ele tem medo da reação de seus pais ao notarem o homem que ele se tornou, mas principalmente por deixar na América, Rachel.  Eles finalmente começaram a liberar os seus sentimentos.  Há muito ainda o que eles temem. Diferenças de religiões e Ian tem medo da vingança de Arch Bug de transformar a vida de alguém tão boa e doce como Rachel em algo violento, mas aquele beijo apaixonado que eles deram mostrou que os temores podem ficar para trás. Ian deixou Rollo para Rachel tomar conta e o fofo do Rollo também ficou para cuidar dela.

Enquanto isso, no futuro, Roger, Brianna e Buck tentam encontrar JemmyRoger não perde tempo ao pensar que Rob Cameron levou seu filho através das pedras e logo parte com Buck em busca de Jemmy. Buck teme que possa morrer, mas para ele é o certo a fazer, afinal, Roger é sua família e ele não vai deixá-lo sozinho neste momento. Brianna também gostaria de ir com Roger para encontrar Jemmy, mas ela precisa ficar com Mandy. E sendo filha de Jamie e Claire, ela deve se mostrar forte e corajosa por Mandy, Jemmy e por Roger. Ela vai permanecer inteira, mesmo que esteja quebrada por dentro. É um momento desesperador para os Mackenzies, mas eles vão resistir e vencerão tudo e a todos que os ameaçam.

“Turning Points” foi o último episódio desta primeira parte da sétima temporada de Outlander.  Foi um episódio muito bom e funcionou como um final de meio de temporada completo que deixou sementes do que virá no futuro. Há muito segredos a serem desvendados, reencontros por acontecer, ansiedade com o que o passado guarda para Roger e Buck e como o Salsicha diria: Jemmy cadê você, meu filho? Uma ótima temporada e Outlander segue sendo mágica e apaixonante com uma mistura de amor, ação e emoção. 

Out¹: Eu adorei ver Claire brava brigando com Jamie com toda aquela raiva e aquela força. Fez com que ele lembrasse muito da Claire da primeira temporada. Aliás, as cenas de Jamie e Claire são as melhores. As palavras de amor que eles trocam entre sussurros, os olhares compartilhados, a forma como respeitam quem eles são e de como se tornam vulneráveis ??um com o outro é o que me faz apaixonar sempre por Outlander.  

Out²: Eu gosto da forma como foi criado um vínculo entre Claire e William. Da forma como se conheceram, interagem e se respeitam.  É um presente para nós e para Jamie que também teve seu momento significativo, emocionante e bonito com seu filho.  

Out³: Foi emocionante ver Jamie relembrar sua infância e falar gaélico com Simon Fraser. Assim como a conversa entre Denzell e Claire foi perfeita. Eles são médicos, mas é muito difícil ver tanta morte e tanto sangue ao redor deles e isso faz com que eles pensem se vale a pena estar ali. Mas eles precisam porque se não fizerem isso, talvez o próximo paciente não sobreviva sem a ajuda deles.  

Out4: Ao ver Jamie se levantar, eu dei um suspiro de alívio e ao ver Claire defendendo Jamie com tanta ferocidade, eu dei um grito de alegria. Essa mulher é demais! E sempre ao ver as cenas dela limpando, costurando e tratando de Jamie e de seus feridos, sempre faz com que eu agradeça pela anestesia. E Brianna é bem filha da sua mãe e do seu pai. Ela tem a coragem e força dos Frasers.  

Out5: Ian e Rachel são fofos juntos, mas saber que Arch está observando ela… me dá calafrios!  

Out6: Amo as piadas da família Fraser e principalmente as do Jamie, elas me fazem rir. Mas eu sorri mesmo, quando vi a Escócia e os sorrisos de Jamie e Claire. A impressão era de que eu havia retornado à segunda temporada. Jamie e Claire com suas mãos unidas, os seus olhos repletos de alegria, os seus sorrisos ao verem que finalmente voltaram para casa. Ver novamente as Terras Altas, ouvir a música tão peculiar de lá e ver Jamie e Claire juntos e emocionados, fez com que lágrimas chegassem aos meus olhos ao mesmo tempo que eu sorria. A sensação é a igual de voltar para casa e para o lugar onde tudo começou.  Jamie e Claire estão prontos para iniciar um novo capítulo em suas vidas e vamos com eles, ansiosos para viver com eles as novas aventuras que virão na Escócia!  

Encontrou algum erro?
Favor nos informe pelo e-mail outlanderlsbrasil@gmail.com

Conheça nossas redes sociais

Canais que produzimos conteúdo

Educadora que ama livros, séries e filmes. Sonho encontrar um portal e viajar no tempo por vários lugares e épocas. Sou uma apaixonada por Outlander, Claire e Jamie Fraser.

Deixe uma resposta