7ª Temporada,  Brianna Randall Fraser,  Caitriona Balfe,  Claire Fraser,  David Berry,  Diana Gabaldon,  Ian Murray,  Jamie Fraser,  Jemmy,  John Bell,  Lord John Grey,  Mandy,  Outlander,  Resenha,  Richard Rankin,  Roger Wakefield,  Sam Heughan,  Série,  Sophie Skelton,  William Ransom

[Resenha] Outlander 7×02 – The Happiest Place on Earth

“Não sou mais tão corajoso quanto era antes, sabe?- disse ele, bem baixinho. – Já não tenho coragem suficiente para viver sem você.” – James Fraser

No segundo episódio da sétima temporada de Outlander, The Happiest Place on Earth,  finalmente é revelada a verdade sobre o assassinato de Malva e é bem mais terrível do que parecia. Malva foi abusada por seu irmão e mesmo sendo uma personagem tão detestável em vários momentos – ela tentou matar Claire e o pai, além de todas as maldades que fez -, Malva precisava de ajuda, só que ninguém percebeu a opressão em que ela viveu.

Foi abusada por Allan e sofreu com a falta de proteção e amor de seu pai. E assim, Malva aprendeu a sobreviver com o abuso, a violência, os muitos segredos e a solidão que a acompanhavam. E ela encontrou apenas uma pessoa que realmente se importou com ela: Claire.

No fim, ela pensou em confessar tudo à Claire e foi por isso que Allan a matou como também ao filho de ambos. Allan é um monstro e o Jovem Ian provou que ele está melhor morto. Confesso que senti um alívio por esse ciclo encerrar e os Christie não mais existirem na Cordilheira Fraser porque desde que chegaram lá só trouxeram problemas, sofrimento e dor.

E Claire e Jamie recebem mais um ente em sua família com a chegada da pequena Mandy, a netinha mais fofa da cordilheira. Só que Claire logo percebe que algo não está bem com Mandy. O coração da sua netinha tem um defeito que no futuro seria algo fácil de consertar, mas naquele século é uma sentença de morte.

Claire não consegue acreditar que isso está acontecendo. Ela é uma médica que salvou tantas vidas, mas que não pode ajudar a sua própria neta. A vida às vezes tem um humor tão ácido que chega a doer e ela se repete porque Claire deixou Jamie para que a filha que carregava – Brianna – nascesse em segurança. E agora quando Brianna e Roger construíram um lar com sua família no século 18, eles terão que deixar tudo para salvar Mandy. É de arrebentar o coração!

Só que antes da partida dos Mackenzie, há o momento em que Brianna conhece o seu irmão William e reencontra Lord John. Esta será a primeira e única vez que Brianna terá a oportunidade para falar cara a cara com o seu irmão. Assim como Jamie que nunca pensou que veria os seus dois filhos juntos. Ele que sonhou com isso, rezou por isso, mas nunca pensou que os seus olhos veriam além da sua imaginação. Ah, foi emocionante e triste ver tudo o que ele sentia ao ver a cena e depois acenar emocionado como também agradecido a Lord John.

Brianna conhece o seu pai e sabe o que ele está sentindo. Ela sofre ao ver o sofrimento de Jamie, mas ela também sabe que é injusto que William não saiba a verdade sobre sua origem. Ela passou por isso também e no começo foi bem difícil com muita confusão, raiva, negações e muito medo de trair o único pai que ela conhecia. Mas o tempo e o amor ao lado de Jamie fizeram Brianna abrir o seu coração e aceitar ambos pais. E, como ela confessou a Lord John, ela não consegue mais conceber uma vida sem Jamie como seu pai. 

Ela acredita que William vai precisar de tempo, mas ele também vai mudar e tem o direito de conhecer e amar seu verdadeiro pai, assim como Jamie tem o direito de que seu filho o ame. Só que essa opinião não é compartilhada por Jamie e Lord John

Lord John tem medo de que isso destrua a vida de William e Jamie sabe que não deve sonhar com o impossível. E é por isso que Jamie agradece ao amigo John por fazer todo o possível para trazer William para sua vida, ele sabe que nunca poderá retribuir a John por tudo o que ele fez. Mas também chega o momento do adeus entre os amigos, Lord John não consegue acreditar que eles são inimigos e que mesmo William lutando ao lado da Coroa, isso não mudará o lado que Jamie lutará. John não consegue acreditar que Jamie estará lutando no lado perdedor – na verdade Jamie sabe por Claire, Brianna e Roger que o lado deles será o vencedor – e que isso será a causa do fim da amizade deles.

Como último sinal de lealdade e amizade, Lord John dá a Jamie uma joia para que Brianna e sua família fiquem a salvo. Ele pode não entender a magia e mistério que envolvem a família Fraser, mas isso não importa, ele os ama e os ajudará como puder.

Com o adeus iminente, Jamie e Brianna têm um momento particular entre pai e filha. Jamie fala que sempre lutará por sua família, então a sua motivação é lutar por um lugar feliz para Brianna. Saber que no futuro ela estará segura e feliz e que ele contribuiu para isso de alguma forma o deixa mais conformado. E Brianna desistiria na mesma hora daquele lugar feliz para manter seus pais seguros. 

 No entanto, ao falar sobre o futuro e o mundo em que ela vivia, Jamie fica um pouco apreensivo e teme que o tempo dele tenha sido uma decepção para ela. Só que nada poderia estar mais longe da verdade, pois aquele tempo, aquele lugar, é a casa dela porque a mãe e o pai estão lá. E Brianna ama tanto eles que não sabe como será sua vida sem eles.

Esta cena dos dois com os vagalumes é tão linda e é tudo que deveria ter acontecido com eles na 4ª temporada. Até mesmo o nascimento de Jemmy deveria ter acontecido como o nascimento de Mandy e admito que eu nutria uma frustração por terem perdido esses momentos tão lindos de família e entre pai e filha.

Com a despedida batendo à porta, Jamie sente que deveria dar à Claire a escolha de ir com eles. Ele entrega uma pedra para Claire caso ela queira voltar ao seu tempo com Brianna, Roger, Jemmy e Mandy. Afinal, seria injusto que Claire tivesse que desistir de sua filha duas vezes por ele.

Mas Claire não fará isso. Jamie uma vez a obrigou a sair do lado dele, pouco antes de Culloden e ela só fez isso porque estava grávida e prometeu a Jamie que salvaria a filha deles, porque senão ela o teria acompanhado para morrer em Culloden. Ela sabia que a separação deles valeu a pena, mas ela também sabia que nunca faria isso de novo, não importando o que acontecesse. Não existe nada que separe Claire de Jamie. Nunca mais haverá… E se eles tiverem que morrer nessa guerra, eles o farão juntos.

Jamie fica aliviado porque ele estava oferecendo à Claire uma saída se ela quisesse, uma escolha porque ele a ama demais, mas a verdade é que ele não poderia viver sem ela. Se Claire tivesse partido… Ele desistiria de tudo. Essa escolha que Jamie dá à Claire assim como ele fez na primeira temporada é uma forma de amor tão grande e a decisão de Claire de não voltar à segurança de seu tempo junto com sua filha e netos depois de tudo o que ela passou também é grandioso. Jamie e Claire são apaixonantes e vivem um amor atemporal.

Então, o momento que todos temem chega: a despedida da família Fraser. E não há como as lágrimas pararem de rolar de meus olhos a cada abraço, despedida e palavra. E é tão sensível e carinhoso quando Jamie se despede de seu pequeno neto falando sobre o grande camundongo de orelhas grandes. Ah, meus olhos inchados.

Depois que a família Fraser é separada a Casa Grande os espera. E aquela Casa Grande em Fraser’s Ridge nunca pareceu mais vazia, mas a lida e rotina os ajuda. Até que tudo isso seja mudado com a aparição do condenado Wendigo. O maldito covarde quer fugir através das pedras e está atrás de joias e o conhecimento de Claire para isso. Ele aparece junto com mais comparsas em busca de tudo de valor que puderem encontrar na Casa Grande.

E então, o encontro de homens violentos e ignorantes, junto ao éter e ao fogo, provocam o incêndio que Brianna, Claire e Jamie tanto temiam e à destruição da Casa Grande.  Ah, e foi bem triste ver a perda da Casa Grande, o primeiro verdadeiro lar de Jamie e Claire. Eles não conseguem ter um minuto de paz nessa vida! E eu gostava tanto daquela casa, os móveis, o quarto deles, o escritório, o consultório da Claire com todas as ervas penduradas e todos os equipamentos. Às vezes, até parecia que eu sentia o cheiro das ervas ou da madeira queimando na lareira. Mas eles vão construir outra casa com certeza, afinal, são o nosso casal.

The Happiest Place on Earth é um dos melhores episódios de Outlander. O episódio me levou às lágrimas, a ponto de ficar com os olhos e a cara inchada como há tempos eu não me sentia com qualquer série. E não que a série havia perdido o encanto ou a magia, mas este é um daqueles episódios que vai além e deixa a pele arrepiada de emoção e o coração apertado com tanta sensibilidade. Este é um daqueles episódios que lembrou o porquê de eu me apaixonar e ficar encantada por Outlander

Out¹: A Sra. Bug ajudando a enterrar Allan é só o começo para os segredos que esse casal esconde e o ouro escondido que apareceu no final do episódio só prova isso.

Out²: Jamie e Claire estão no nascimento de Mandy como deveriam ter estado quando Jemmy nasceu e o abraço deles naquele momento me faz sentir vingada por terem tirado esse momento antes. O que eles sempre quiseram foi estar juntos e cercados por toda a família. E eu amei!

Out³: Amanda Claire e Jamie sendo um avô como nunca pode ser um pai. Ah, os lenços se acabaram e as lágrimas ainda caem.

Out4: Sou como Jamie e rezar é muito importante para mim. E gostei muito desse momento compartilhado entre Jamie e Claire, pois o conforto que a fé traz sempre o ajudou em seus momentos mais sombrios.

Out5: A conexão entre Jemmy e Mandy e Jamie conversando com Claire sobre a luz elétrica é algo que nos faz pensar.

Out6: Todo o episódio foi repleto de grandes atuações, mas o luto, vazio, dor e desespero naquele choro de Claire foi avassalador. Que atuação, dona Caitriona Balfe!

Out7: Não esqueci que você queria ajudar o condenado do Wendigo, Roger e a gastura por você só aumenta.

Encontrou algum erro?
Favor nos informe pelo e-mail outlanderlsbrasil@gmail.com

Conheça nossas redes sociais

Canais que produzimos conteúdo

Educadora que ama livros, séries e filmes. Sonho encontrar um portal e viajar no tempo por vários lugares e épocas. Sou uma apaixonada por Outlander, Claire e Jamie Fraser.

One Comment

Deixe uma resposta