Brianna Randall Fraser,  Caitriona Balfe,  César Domboy,  Claire Fraser,  Contos Na Colina Fraser,  Escócia,  Fergus,  Germain,  Jamie Fraser,  Jemmy,  Mandy,  Marsali,  Outlander,  Roger Wakefield,  Sam Heughan

Conto de Dia dos Pais: Haja o que houver, sempre estarei com você

Imagem de cabeçalho, Jamie e Claire ao fundo com os Dizeres "Contos na Colina Fraser por Mari Barros"

Jaime estava indo até o celeiro para ver como estava a pata direita da mula Clarence, ela havia machucado a pata em um espinheiro e por isso estava quieta enquanto se recuperava. A mula era dócil e ajudava muito na lida do dia a dia.

Ele entrou e bateu as mãos na capa para tirar o excesso de água da chuva que caía. Tirou o chapéu e abaixou para ver a mula. Ela estava confortavelmente aconchegada no canto esquerdo e ao olhar para a pata, ele percebeu que o curativo já havia sido trocado e a sua frente havia feno e água.

– Claire – ele pensou feliz. – Ela jamais deixava qualquer um dos seus pacientes sem cuidados, mesmo sendo uma mula e mesmo que tivesse que enfrentar chuva ou até mesmo a neve. 

Jamie deu um tapa na anca de Clarence com carinho quando sentiu uma gota cair em sua cabeça, ele olhou para cima e sorriu orgulhoso com a sua criação. Assim que o tempo melhorasse ele arrumaria o telhado. Foi então que ele ouvi uma voz e quando já pensava em sair para descobrir quem era, foi atingido e quase se desequilibrou. Mechas de cabelos vermelhos e molhados bateram em seu rosto,  Brianna.

– Papai!

-Com as graças de Deus ainda de pé – ele falou com humor enquanto a segurava.

– Papai você viu Jemmy ou Germain? – Ela perguntou aflita.

– Vi quando eles trouxeram o meu almoço mais cedo – ele falou arrumando o cabelo dela embaixo do grande chapéu que Claire usava para trabalhar em sua horta. – Eles não estão em casa?

– Eu estava com Lizzie ajudando mamãe a fazer xarope e separando ervas e os deixei em casa estudando as escrituras porque Roger quando chegar na próxima semana vai querer saber se eles aprenderam – Brianna parou ao ver que o seu pai sorria com ironia para ela. – Eu sei que eles ficaram brincando com os “vruns” e nem devem ter aberto a bíblia. Mas quando eu voltei para casa, eles deixaram Mandy e Fanny sozinhas e simplesmente haviam sumido nessa chuva.

– Certo, fique calma e volte para casa para ficar com as meninas e…

– Não, eu também vou – Brianna falou com firmeza.

– Brianna, eu conheço melhor do que ninguém os esconderijos que os meus netos podem ter se enfiado – ele sorriu confiante para ela e a abraçou. – Vá para a sua cabana e cuide das meninas, que antes de achar os malandrinhos, eu vou pedir para a sua mãe ficar com vocês. Me esperem com uma bebida quente. – Ele falou a beijando na bochecha e saindo com disposição.

Menos de uma hora depois, Jamie chegava sujo de lama e ensopado na companhia de Jemmy Germain.

Depois que Brianna brigou com Jemmy e Germain prometendo que eles ficariam de castigo até que nascesse barba no rosto deles, ela tirou a roupa dos meninos e os enrolou em mantas, os deixando confortavelmente sentados ao lado do avô e em frente à lareira.

Claire chegou com um cobertor e colocou sobre as costas de Jamie, depois entregou uma caneca quente de café com uma boa dose de uísque. Ela então começou a secar os cabelos dele e deu um beijinho na orelha esquerda dele, provocando um arrepio que fez com que ela sorrisse.

– Onde você achou os pilantrinhas? – Ela perguntou sorrindo para os meninos.

– Grand-mère, nosso grand-père é um grande herói sabia?

– É mesmo Germain e o que foi que o seu avô fez dessa vez?

– Ele nos salvou do grande buraco cheio de água, vovó – Jemmy respondeu e já se arrependendo quando viu as caras de assustadas da mãe e da avó.

– Que buraco Jaime? – Claire perguntou desconfiada.

– Não foi nada Sassenach – e olhando para Brianna, ele continuou: – Depois que avisei sua mãe fui atrás dos meninos nos lugares onde eles costumam brincar e se esconder quando não querem fazer alguma tarefa – Jamie falou sorrindo e com dó da cara dos meninos, mas não delatou todos os esconderijos. – Eu os encontrei dentro daquele forno que você começou a cavar na outra semana, minha filha.

– Jemmy eu não falei que era proibido entrar lá até estar pronto! – Brianna falou desesperada.

– Mas mamãe, Germain contou a história de como o vovó ficou anos preso dentro de uma caverna que parecia mais um buraco e eu queria ser herói como ele… – Jemmy falou brigando corajosamente para que as lágrimas não caíssem.

– Papai e maman sempre contaram sobre como grand-père foi corajoso e nós queríamos ser como ele, mas começou a chover e nós não conseguimos sair do buraco… deu muito medo… – Germain falou envergonhado e ficando muito vermelho.

– Jesus H Roosevelt Christ! – Claire falou assustada e agradecida. – Graças a Deus que você os encontrou!

– Mamãe eu tive medo, mas eu falava o tempo todo que o vovô iria chegar e nos salvar. E ele chegou – Jemmy olhou feliz para o avô.

– Filha, eu gritei por eles  e depois cheguei até o buraco que você estava cavando. Então ouvi os meninos gritarem de volta. Havia um pouco de água da chuva, mas tanto Germain como Jemmy foram muito corajosos e eles conseguiram subir pela corda que eu joguei e saírem – Jamie olhou com orgulho para os netos.

– Vocês dois merecem umas boas palmadas e… – Brianna falou irritada e aliviada ao mesmo tempo.

– Não se preocupe com isso, pois eles não terão muito tempo livre agora com o trabalho de separar o esterco para a horta da sua mãe e toda noite ele virão para que eu tome as escrituras antes deles dormirem – Jamie falou sorrindo.

– Pai …

– Sim Brianna? – Jamie falou enquanto tomava a terceira caneca de café e devorava outro bolinho de mel.

– Obrigada… – ela falou baixinho.

– Filha… – ele falou absorto olhando para as chamas da lareira. – Às vezes quando eu estava naquela caverna lá na Escócia e via que entrava água pelo pequeno buraco… eu pensava em você – Jamie então olhou para Brianna e com carinho passou a mão pelo rosto dela. – Imaginava como você seria, como seria segurá-la em meus braços. E se você chorasse, quem sabe eu pudesse falar para acamá-la ou se em uma noite fria e de chuva, eu estaria lá com você… – ele falou baixinho. – Às vezes eu pensava no meu pai que falava quando eu era um garoto menor do que o Jemmy: “haja o que houver, o seu pai, estará sempre a seu lado” , e eu pensava que mesmo parecendo impossível… eu estaria sempre ao seu lado.

– Oh, papai… que bom que estamos agora aqui com você e que eu posso fazer isso – Brianna então o abraçou e o beijou demoradamente no rosto. Quando ela levantou para colocar Jemmy na cama, Jamie notou que ela chorava, então ela falou: Eu te amo papai!

– Brianna – ele falou simplesmente sorrindo e emocionado.

– Quando você vai deixar de ser essa pessoa apaixonante, hein James Fraser? – Claire perguntou se aconchegando a ele e o beijando. – Meu lindo e bravo herói.

– Eu sou? – Ele respondeu brincando para ela enquanto a abraçava feliz. – Sassenach, não sei se sou uma pessoa apaixonante, mas com certeza eu sou um homem muito abençoado e feliz. E saiba que haja o que houver, eu sempre estarei a seu lado – ele disse a beijando. – E eu sei que você sempre estará ao meu.

Feliz dia dos Pais a todos os apaixonados por Outlander!

Encontrou algum erro?
Favor nos informe pelo e-mail outlanderlsbrasil@gmail.com

Conheça nossas redes sociais

Canais que produzimos conteúdo

Educadora que ama livros, séries e filmes. Sonho encontrar um portal e viajar no tempo por vários lugares e épocas. Sou uma apaixonada por Outlander, Claire e Jamie Fraser.

Deixe uma resposta