7ª Temporada,  Brianna Randall Fraser,  Caitriona Balfe,  Claire Fraser,  Diana Gabaldon,  Ian Murray,  Jamie Fraser,  Jemmy,  John Bell,  Mandy,  Outlander,  Resenha,  Richard Rankin,  Roger Wakefield,  Sam Heughan,  Sophie Skelton,  William Ransom

[Resenha] Outlander 7×07 – A Practical Guide for Time-Travelers

“Depois da batalha, você voltará para mim… e se não voltar, irei procurá-lo.” – Claire Fraser

O sétimo episódio da sétima temporada de Outlander inicia com Roger trazendo Buck até Brianna – aquele ancestral de Roger que o levou para a forca e quase o matou -. É claro que eles desconfiam das intenções de Buck e das suas razões de estar ali. Buck está confuso, sem conseguir entender o que aconteceu com ele e lutando para aceitar que viajou no tempo. O que faz com que eu o entenda perfeitamente, porque imagina estar andando tranquilamente, daí vem um zumbido de enxame de abelhas e então tudo muda de repente. As pessoas que você conhece somem e o mundo ao seu redor é totalmente diferente de tudo o que você já viu ou conheceu. É muita loucura.

E apesar do que aconteceu entre eles no passado, Roger é o único rosto familiar ali e talvez a sua única chance de conseguir entender toda essa loucura. Mas, Buck sabe do que fez e também sabe que não seria bem-vindo, então ele permaneceu escondido e não teve a intenção de assustar Jemmy e Mandy, só que ele também não sabia como abordar Roger e sua família de forma correta.

Mas a conversa não avança muito porque diferente de Buck, Rob Cameron quer sempre estar presente na rotina da família Mackenzie. Ele se esforça muito para se envolver com Roger, Brianna, Jemmy e Mandy, se convidando para um jantar, insistindo em ver os cadernos de hinários em gaélico e pedindo para copiá-los. E Roger, inocente ou tonto como sempre o deixa junto do baú com as cartas de Jamie e Claire, a sua árvore genealógica e dos rascunhos do seu Guia Prático para Viajantes no Tempo.

Rob até podia se passar por um cara simpático e amigável, conseguindo com que Brianna e Roger baixassem a guarda e não percebessem como ele forçava o contato com eles. Ele confessou que é uma pessoa solitária e que sentia falta do filho, mas aquele trote que ele comandou, a forma machista como tratou Brianna, fora os olhares lascivos que sempre dava para sua chefe e aquele sorrisinho fingido nunca me enganaram.

Rob Cameron é perigoso, ele está atrás do ouro e por isso sequestrou Jemmy. Só que ele também parece ter interesse em Brianna. Ela é uma mulher bonita e inteligente, mas acima de tudo Brianna desafiou Rob. Ela deu ordens a ele e o venceu em seu próprio território. Um homem machista como Rob não conseguiria esquecer algo assim tão fácil. Então, com certeza ele estará ansioso para dar um corretivo em Brianna.

Será que Rob levou Jemmy para viajar no tempo? E será que ele é capaz de fazer a viagem? Jemmy é a única pessoa que sabe onde o ouro está e Rob precisa dele vivo. E sinceramente se eu fosse um covarde que sequestra garotinhos, não viajaria no tempo me arriscando a enfrentar Jamie e todos os seus homens de Fraser’s Ridge, quando no futuro eu poderia tentar encontrar com mais facilidade o ouro escondido. Então, talvez a ameaça esteja mais próxima do que Brianna e Roger pensam.

No século 18, William se prepara para lutar pela primeira vez. Por um lado, ele está ansioso para mostrar que é leal à Coroa, orgulhoso em poder defender as Colônias dos rebeldes e animado com a perspectiva de lutar. Mas ao mesmo tempo, William se sente com medo e apreensivo. Afinal, será uma luta de vida ou morte. E isso pode significar que muitos homens podem morrer por suas mãos, mesmo que eles sejam seus inimigos, serão vidas perdidas. Assim como muitos do seu lado também poderão perecer.

William está na linha de frente e comandando os seus homens durante a batalha. Ele sabe que a sua principal missão é acabar com o maior número possível de rebeldes. Só que ele percebe como a vida é frágil quando o seu amigo morre ao seu lado. Em um segundo, William falava e sonhava com o amor de Rachel e, no segundo depois o seu parceiro e amigo, jazia morto no chão. Foi um choque para William que encontrou na raiva que ele sentia e no sangue dos seus inimigos, a sua vingança. Foi como se ele crescesse diante de nossos olhos neste episódio. Antes da batalha e do que aconteceu, William parecia mais um menino que brincava de ser homem, mas depois do que aconteceu na batalha e do que ele viu, fez e sentiu, William não é mais o mesmo. Ele não pode ser mais o rapaz de antes, essa guerra é a vida dele agora e ele terá que sobreviver a ela.

Só que o que William não sabe ou suspeita é que do outro lado do campo de batalha, o seu pai também luta, só que ao lado dos rebeldes. Jamie é um dos coronéis dos rebeldes e jurou que nunca apontaria uma arma para o filho. Depois do que aconteceu na batalha com William, dificilmente ele deixará a guerra. Então será difícil para Jamie manter a sua promessa. 

E só falta um episódio para o final desta temporada de Outlander, aliás, uma temporada ótima. Roger e Brianna confiaram em quem não deveriam e pai e filho lutam em lados opostos. É ansiedade com letras maiúsculas e brilhantes que chama?

Out¹: Eu sei que Jamie não está morto, mas me aflige muito vê-lo deitado naquele chão e todo ensanguentado.

Out²: Eu até gosto do Buck e consigo entender ele. De como ele foi criado e de como acreditava ser correto agir com brutalidade. Consigo entender, mas não sei se conseguiria perdoá-lo. Por isso que admiro Roger e Brianna por conseguirem. Também senti pena dele sozinho no futuro, depois sabendo que sua mulher e filhos já estão mortos. E gostei dele sendo fofo com as crianças.

Out³: Não vou criar polêmica sobre Roger e Brianna e suas cenas mais quentes. Gosto do casal, Rik é bom ator e Sophie até melhorou na atuação, mas sinceramente falta química para eles.

Out4: Já química é o que não falta para Sam e Cait. Suas cenas são perfeitas, românticas e apaixonantes, e sempre acho que preciso de mais delas em Outlander. Quando Jamie percebe que Claire precisa de óculos, é fofo ver ele falando que fará dois modelos para ela. Um mais simples para o dia a dia e um mais requintado para o domingo – até lembrei de quando era criança e mamãe falava que eu tinha a roupa e sapato para usar na missa de domingo, que geralmente era a minha melhor roupa -, mas o que foi melhor foi sentir como Jamie continua tão apaixonado por Claire como no primeiro dia. Jamie e Claire são a alma de Outlander e não importa o que aconteça, o quanto eles se machuquem ou se percam, eles sempre acharão um meio de se reencontrarem novamente. O amor deles é tão presente que não é necessário cenas calientes, gemidos e pouca roupa. O amor está sempre presente mesmo naquele “eu te amo” não pronunciado, mas sentido e trocado por olhares e toques.

Out5: Claire falou que se Jamie não voltasse, ela iria procurá-lo e é isso o que espero ansiosamente que aconteça!

Encontrou algum erro?
Favor nos informe pelo e-mail outlanderlsbrasil@gmail.com

Conheça nossas redes sociais

Canais que produzimos conteúdo

Educadora que ama livros, séries e filmes. Sonho encontrar um portal e viajar no tempo por vários lugares e épocas. Sou uma apaixonada por Outlander, Claire e Jamie Fraser.

Deixe uma resposta