Brianna Randall Fraser,  Caitriona Balfe,  César Domboy,  Claire Fraser,  Duncan Lacroix,  Fergus,  Jamie Fraser,  Lord John Grey,  Marsali,  Murtagh Fraser,  Outlander,  Quarta Temporada,  Resenha,  Richard Rankin,  Roger Wakefield,  Sam Heughan,  Série,  Sophie Skelton,  Stephen Bonnet

Outlander: 4×12 – Providence

“Ó Pai de misericórdia e Deus de todo conforto, humildemente te imploramos que visite e alivie o servo doente para quem nossas orações são destinadas. Olhe para ele com os olhos da tua misericórdia. Conforte-o com a sensação da tua bondade.” – Roger Mackenzie

Assistir a este penúltimo episódio me trouxe alguns sentimentos. Foi um episódio bonito e triste. Roger, o padre, a índia, Fergus e Marsali resgatando Murtagh, Brianna em busca do perdão e John sendo um perfeito lorde que até fica quase impossível não se apaixonar por ele. E mesmo sendo um episódio bonito, eu não consegui gostar dele.

Sou uma apaixonada por Outlander. Acompanho os livros desde 2008. Esperei muito pela adaptação para a TV. E afirmo que amar Outlander não significa que eu seja cega para os seus defeitos. Me entendam, eu sempre procuro ser positiva e ver tudo por um novo ângulo e olhar. Sim é uma adaptação e é claro que houve mudanças. Até aí não vejo nenhum problema, mas o que mais me incomodou até agora foi a forma como deixaram o casal de protagonistas em segundo plano. Nada contra Brianna e Roger, Fergus e Marsali, Murtagh e John. Mas fica difícil acompanhar a série com um sorriso no rosto quando os personagens centrais deixam de aparecer e pior, têm a sua essência mudada.

Sim, eu sei que esta quarta temporada é aquela que temos personagens novos e tramas novas. Eu sei que a chegada de Brianna e Roger, e a história de amor deles – mesmo que mal construída – precisa ser contada, mas Jamie e Claire são os personagens principais e digo mais são a alma de Outlander.

No episódio de domingo, Rik Rankin fez uma ótima interpretação do seu Roger desesperançoso e sofrido, Ed Speleers como o terrível Bonnet sempre que aparece esbanja talento, tanto que não há como não odiá-lo. Mas por que demorar tanto tempo para resgatar Roger? Por que Jamie, Claire e Ian não poderiam estar junto com Roger e os índios? Por que insistir nesse ritmo tão lento? Foi o penúltimo episódio e há tanta coisa ainda para acontecer e tão pouco tempo para ajustar tudo. E sinceramente, deixar só 40 segundos para um vislumbre dos personagens centrais que são o coração dessa história é dar um tiro no pé.

Brianna finalmente leu a carta do seu pai, achou que precisava perdoar Bonnet, pediu ajuda a John e ele prontamente a ajudou. Fergus com a ajuda de Marsali resgataram Murtagh. Não consegui entender esse momento no livro e nem aqui na série, eu entendo Brianna quando ela quer deixar para trás o que aconteceu e viver a sua vida com o filho, mas jamais iria encontrar com o meu estuprador para perdoá-lo, eu ainda não consegui chegar nesse nível de indulgência. Quanto ao casal Fergus e Marsali eu realmente gostei de vê-los em ação e seguindo o exemplo daquele casal sumido no episódio e também desta temporada. Para eles, Jamie e Claire são o exemplo de um casal apaixonado que trabalha junto e fechado, sempre usando de cumplicidade e parceria, talvez por serem a personificação do amor e o coração dessa história toda.

Roger está passando pelo seu purgatório pessoal, Brianna se agarrando a suas esperanças pelo volta de seus pais, do seu amado e que ele aceite o seu filho. Jamie e Claire? Na floresta acampando. E eu sinceramente como uma apaixonada por Outlander, espero que os problemas sejam resolvidos, principalmente que percebam que Jamie e Claire são os personagens centrais e que deixá-los apagados, ou mudar a essência deles só vai destruir a grandiosidade que Outlander é. Espero e torço muito, mas muito mesmo que o final da temporada seja incrível. E que na próxima semana, eu retorne feliz ao ver a minha série de volta nos trilhos. Porque hoje, infelizmente, eu não estou nada animada.

OUT¹: O final do episódio foi algo aterrador, chocante e de cortar o coração.

Educadora que ama livros, séries e filmes. Sonho encontrar um portal e viajar no tempo por vários lugares e épocas. Sou uma apaixonada por Outlander, Claire e Jamie Fraser.

2 Comments

  • Sara

    Segue bem as características do livro… se vc realmente que ver mais Jamie e Claire vai ter que rever as primeiras temporadas… daqui pra frente a ausência aumenta bem.

Deixe uma resposta